Despidos de preconceitos pela solidariedade

“Ao Serviço da Terra”, mas sobretudo ao serviço da solidariedade. Um grupo de agricultores barcelenses promoveu a concretização de um calendário agrícola solidário, com os fundos do projecto a reverter na totalidade para a actividade solidária da Recovery IPSS, uma instituição barcelense que actua na “defesa […] de pessoas portadoras de doença mental e seus cuidadores informais”.

O projecto partiu da iniciativa de Filipe Figueiredo, vendedor de produtos e rações para animais, numa empresa de Barcelos. “A ideia do cartaz solidário surgiu quase de uma brincadeira, por ter visto que é uma forma de chegar às pessoas de uma forma engraçada e que fica na cabeça das pessoas. Surgiu quando vi os Bombeiros de Setúbal, achei engraçado e, como trabalho junto da agricultura há cerca de 13 anos, pensei que seria giro fazer isso aqui, ao nível da agricultura barcelense”, explicou ao JB. A escolha dos 12 modelos resultou de “alguma triagem”, mas também da ajuda de um profissional, Nuno Baptista, o fotógrafo encarregue da sessão. “Éramos 16, numa fase inicial, mas passámos a 12, porque quatro desistiram por um ou outro motivo, e acho que ficamos muito bem servidos”, opinou Filipe Figueiredo.

Ao repto de Filipe acederam vários agricultores e profissionais relacionados com a actividade, no concelho de Barcelos. Manuel Ferreira é gestor de clientes, numa empresa de nutrição animal. “Isto já começou há um ou dois anos, que o Filipe me vinha a assediar para este projeto. Numa fase inicial, fiquei um bocado reticente, porque, apesar de tudo, estamos a expor-nos e também é preciso ver a opinião da família acerca dessa nossa exposição”. Mas, olhando à “causa social”, tratando-se de um projecto “muito interessante” e porque a família também “não se opôs”, Manuel Ferreira aceitou o desafio, sendo que, confidenciou ao JB, a sessão exigiu alguns cuidados: “Uma pessoa sabe que vai estar ali, que vai ser o foco de observação de algumas pessoas e, como tal, houve alguns cuidados redobrados, sobretudo a nível alimentar”.

Ora e se Manuel Ferreira é o representante do mês de Janeiro, Março é da responsabilidade de Manuel Garcia, produtor de leite e de alguma carne. Com 52 anos, é o agricultor-modelo mais velho e, brinca, “o único de cabelos brancos”. Também reticente, no início, acabou por aceitar o desafio, com o apoio da família: “Depois de pensar, disse que sim e foi com muito gosto que enfrentei a causa”. A motivação teve muito que ver com a causa social associada ao projecto: “Conheço a Recovery e, a primeira vez que visitei a instituição, emocionei-me bastante ao ver o trabalho feito lá e o que aquela gente precisa. E quando chegamos à conclusão que era para trabalhar em função de algo para ajudar alguém que necessita muito, ainda mais me incentivou a participar e a empenhar-me a ver se conseguíamos arranjar o maior número possível de patrocínios, para conseguirmos dar tudo à Recovery”, sublinhou o agricultor de Silveiros.

Iniciativa solidária

A ideia do calendário agrícola solidário surgiu há cerca de quatro anos, mas só agora foi possível concretizar. A verba angariada com a venda dos calendários reverte na íntegra a favor da Recovery IPSS. Estamos a falar de um trabalho que é voluntário da parte dos agricultores-modelos, mas também de cerca de uma dúzia de patrocinadores. “Agradeço aos modelos, porque, de forma altruísta, se disponibilizaram a posar em situações que não estão habituados, a mostrar um bocadinho do corpo e, depois, a serem sujeitos à crítica que também vai surgir e estarem preparados para isso. Mas, sem os patrocinadores, financeiramente também não era possível”, disse ao JB Filipe Figueiredo.

No calendário, há de tudo um pouco: desde campo, vacarias com animais, máquinas agrícolas, o sector leiteiro em si e outros cenários comuns ao mundo da agricultura. Além da questão solidária, sublinha o promoter do projecto, há também o propósito de “tentar desvirtuar um bocadinho a imagem que as pessoas têm da agricultura em si”. “As pessoas vêem a agricultura como uma coisa suja, pessoas já de idade… A ideia também era desvirtuar um bocadinho essa imagem”, rematou Filipe Figueiredo.

O projecto vai ser apresentado na próxima semana (13 de Outubro, pelas 21h00), na Escola Superior de Gestão, do IPCA, numa sessão que vai contar com “algumas surpresas”. O calendário agrícola solidário vai ter um custo de cinco euros por exemplar e vai estar disponível para aquisição no comércio local.

(In Jornal de Barcelos, edição de 4 de Outubro de 2017)

*Foto: Eduardo Morgado/JB

Ver mais artigos

Para ouvir

Barcelenses pelo Mundo

Rubrica emitida no programa “Acontece”, da Rádio Barcelos, entre 2016 e 2019. Diferentes histórias de vida e experiências dos barcelenses espalhados pelo mundo.

Para ouvir

SC Ucha

Na rubrica “O meu clube é melhor que o teu!”, conhecemos o Sporting Clube da Ucha.

Para ler

Investigação cativa ‘pequenos cientistas’

Não há fórmula química para se fazer um cientista ou um aficionado pela investigação. Na Escola Secundária de Barcelos, este gosto cultiva-se através da Rede de Pequenos Cientistas.